Doenças e Pragas

ALTERNATIVAS CASEIRAS PARA CONTROLE DE PRAGAS E DOENÇAS EM PLANTAS.

(Compilado por Nikolaus von Behr - do Viveiro Pau-Brasília, depois de alguns anos de balcão, consultando vários livros e ouvindo sugestões de engenheiros agrônomos e clientes).

Colaborou o Engenheiro Agrônomo Marcus Vinícius Martins, (61) 9983 6462 - especialista em plantas medicinais e aromáticas.

Fundamental foi o livro "Receituário Caseiro: Alternativas para o Controle de Pragas e Doenças de Plantas Cultivadas e de seus Produtos", publicado pela EMBRATER , em 1985, escrito por Milton de Souza Guerra.

Regras básicas

1 - Uma planta sadia, com adubação organo-mineral bem equilibrada tem menos chance de adoecer.

2 - Plantar na época certa (principalmente hortaliças).

3 - Usar plantas repelentes (arruda, gerânio, malva rosa, mastruz, artemisia, crisântemo, cravo de defunto) e atraentes para insetos (girassol e fumo)
Um outro uso para o cravo de defunto, também conhecido com tagetes: “cama” para cachorro, afugentando as pulgas.
Interessante: tomilho junto de repolho repele a lagarta das folhas.

4 - A pimenta é uma planta repelente por excelência. Amassar 3 a 6 frutos/litro, ferver com uma pitada de sabão neutro (usar sempre sabão neutro) e pulverizá-las nas plantas, como preventivo de insetos.

5 - Atenção: Às vezes a mudança de coloração nas folhas de plantas não é causada por doença, mas por excesso ou falta de água, excesso ou falta de adubo. É importante manter o solo bem drenado.
Solo excessivamente úmido é ideal para a propagação de todo tipo de doença. São os fatores ambientais influindo na incidência de doenças.

6 - Neutralizar a acidez do solo com calcáreo ( 1 kg para cova de 80 cm x 80 cm x 80 cm ) ou 300 g por m2, é uma grande arma contra os fungos, por exemplo.

7 - Para plantas de interior, ou de meia sombra, evitar molhar as folhas durante a irrigação.

8 - Muitas vezes não há necessidade de aplicar coisa alguma, a simples eliminação das partes afetadas controla a doença.

1 - PRAGAS

1.1. - Ácaros - são “primos das aranhas” sugadores, invisíveis, atacam brotações, principalmente de mamoeiros, e também flores e frutos de várias plantas. Receitinha caseira: misturar 1 copo de leite azedo em 1 litro de água e pulverizar.

1.2 - Cochonilhas - insetos sugadores, divididos em três grupos : com carapaça, com proteção cerosa (de cera) e nuas . Excretam uma substância açucarada (por isso sempre a presença de formiguinhas), que facilita o aparecimento de fumagina ( a folha fica preta, como se tivesse recebido uma descarga de fumaça preta ). Controlar a cochonilha na fase larval é mais fácil. Receita: 50 ml de óleo mineral em 1 litro de água e pulverizar. Às vezes, como no caso dos pulgões, um bom jato de água, em plantar fortes, elimina essa praga.
Ver receita do vinagre contra pulgões.

Receitas da calda de fumo (serve também contra pulgões e lagartas).

Receita 1 - Picar 10 g de fumo de rolo em ½ litro de água e ferver por 10 minutos. Coar e acrescentar mais 2 litros de água. Adicionar 2 a 3 colheres de sabão neutro (de coco) ralado e deixar por 24 horas. Após este período coar novamente e diluir em 4 litros de água e aplicar no mesmo dia.

Receita 2 - Coloque 100 g de fumo de rolo bem picado em 1 litro de água por 3 dias. (recomenda-se que antes de colocar o fumo na água está deve ser previamente aquecida). Coe a solução. Para melhorar a aderência (o famoso “espalhante adesivo”) use 100 ml de álcool e uma pitada de sabão neutro ralado para cada litro de solução.
O ideal é aplicar no mesmo dia em que a solução ficar pronta.

Receita 3 - (recomendada pela EMATER-DF):
Colocar 120 g de fumo de rolo, bem picado (tipo cigarro de palha) em 1 litro de álcool hidratado, por 24 horas. Armazenar o produto em uma embalagem de plástico e ir aplicando conforme a necessidade.
Misturar 20 ml da solução por litro de água e aplicar uma vez por semana. O fumo não deve ser reutilizado.

1.3 - Besouros - podem ser benéficos, como a joaninha, que controla os pulgões, sendo um aliado da planta. Ver receita da calda bordaleza mais a frente.

1.4 - Formigas e cupins - de difícil combate, pois é preciso destruir a rainha.
Plantio de gergelim minimiza o ataque. (colocar placa indicativa com seta, para que as formigas encontrem logo o gergelim).
Vários métodos de perturbação (como tampar bem as entradas, encher de água...) mantêm as formigas ocupadas... e não cortam.

1.5 - Lagartas - mastigam as folhas e são de fácil combate, vulneráveis aos métodos de controle biológico. Muitas vezes a catação manual (elas não mordem!) resolve. Mas cuidado com as lagartas de fogo, aquelas adultas com pêlos vistosos, mas urticantes. A maioria das lagartas são de hábito noturno. (De dia elas se abrigam em casulos as vezes fáceis de serem localizados, próximo das folhas que comeram...)
Ver Receitinha 1 contra lesmas.
O inseticida biológico DIMIPEL (à venda na Pau-Brasília) é ideal para combate a lagartas. É uma bactéria (Bacillus thuringiensis) que mata as lagartas quando ingerida por elas. Inofensiva para seres humanos.
Outra boa contra lagartas: cortar uma cabaça verde ou abóbora e colocar um inseticida (piretróide) sobre a parte cortada (pode ser em fatias) e espalhar os pedaços pela horta ou jardim. Quando estiver cheia de lagartas, jogar fora.

1.6 - Percevejos - algumas espécies sugam as plantas, outras são extremamente benéficas, sendo predadores de outras pragas, como lagartas. Portanto, algumas espécies devem ser conhecidas e protegidas. Entre as maléficas estão os barbeiros, transmissores da doença de Chagas.

1.7 - Pulgões - insetos sugadores, inoculam vírus. Evitar adubo fresco (não curtido) e adubação excessivamente nitrogenada (por ex. muita uréia). Infesta quando o solo é pobre em matéria orgânica.
Controles alternativos: cozimento das folhas de alamanda ou arruda ou coentro (ferver 300 g folhas/1 litro de água, separadamente, coá-las e pulverizá-las nas folhas doentes). Para poucas plantas doentes, usar vinagre ou álcool num pano e passar nas partes afetadas. As joaninhas comem ovos de pulgões. As flores de cenoura atraem um tipo de mosca, que devora os pulgões. Às vezes um bom jato d’água, quando a planta é firme, elimina os pulgões.

1.8 - Lesmas e caracóis - moluscos de fácil controle biológico.
Receitinha 1 - 200 g de losna para 1 litro de água. Ferver por 5 minutos, deixar curtir mais 10 minutos e pulverizar nas plantas
Receitinha 2 (esta é fácil) - em um recipiente rente ao solo (pode se um prato raso pequeno) colocar um pouco de cerveja com sal.
Dica: colocar em torno da área que se deseja proteger uma faixa de uns 15 cm de cal virgem, que adere ao corpo destes moluscos, ao passarem, matando-os. Outra dica: Juntar sacos velhos (trapos), embebe-los com água açucarada ou salmoura fraca ou leite. Na manhã seguinte...recolher os sacos.

2 - DOENÇAS

2.1 - Fungos - são vegetais sem clorofila, causam diversas doenças em plantas, como a antracnose que queima as folhas e causa apodrecimento de frutos, muito comum nas mangueiras, por exemplo. Os fungos causam também as conhecidas ferrugens, formando pequenas manchas nas folhas.
Remover sempre que possível as folhas infectadas e aplicar fungicidas a base de cobre.
O melhor fungicida é a calda bordaleza.
Olha a receita: 100g de sulfato de cobre*, 100g de cal virgem e 10 litros de água. Coloca-se o sulfato de cobre, bem triturado, num saquinho de pano ralo, na superfície de meio litro de água, num recipiente que não seja de ferro. Fazer pasta (leite de cal) adicionando 100 g de cal virgem em meio l litro de água. Coar o “leite” e coloca-lo num recipiente (nunca de ferro). Em outro recipiente já deve constar a solução de sulfato de cobre. Misturar as duas soluções simultaneamente, usando uma pazinha de madeira. Agora o teste de acidez: pegue uma faca ou canivete e sobre a lamina, bem limpa, coloque duas ou três gotas da calda preparada e, após três minutos, sacuda a lamina. Se ficarem manchas avermelhadas nos pontos onde estavam as gotas de calda, esta ainda está ácida. Quer dizer: adicionar mais uma pouco de “leite de cal” até que fique neutra ou ligeiramente alcalina. O ideal é aplicar a calda no mesmo dia, mas se tiver que conservar a calda por 2 ou 3 dias para depois aplica-la, adicione 5 g de açúcar para cada 1 litro de calda preparada.

*Dos produtos comerciais a base de cobre á venda na Pau-Brasília recomendamos o CuproDimy, de baixa toxidez.

2.2 - Bactérias - causam murcha da planta e conseqüentemente a morte. (muitas vezes achamos que é falta de água, regamos e ela continua murcha e morre... são as bactérias). São de difícil controle, eliminar a planta. Outra dica: usar rotação de cultura, isto é, nunca plantar a mesma planta no mesmo local da que morreu, certo?

2.3 - Vírus - são transmitidos por insetos sugadores como pulgões (os vírus se alojam nas “línguas” destes animaizinhos) e também por sementes contaminadas. Causam manchas amareladas entre as nervuras das plantas. Não há remédio contra vírus em plantas, que devem ser eliminadas. Solução: eliminar os insetos transmissores do vírus, como os pulgões, por exemplo.

3. PRAGUINHAS DE JARDIM

3.1 - Tatuzinho ou bicho bolinha e piolho de cobra ou centopeia - Primeiro, eliminar locais onde ele possa abrigar-se, como táboas, tijolos, pedras soltas... Método super fácil: espalhar panos úmidos (trapos) pelo jardim ao anoitecer e pela manhã, jogar água bem quente no local onde se concentraram. Isso se você está sentindo que elas estão fazendo algum mal as suas plantas... senão, conviver com elas é a melhor maneira.

4 - CONTROLE ALTERNATIVO DE ALGUMAS PRAGAS DO LAR

4.1 - Moscas - pulverizar os locais infestados com 20 g de borax (compra-se em casas agropecuárias) e 1 litro de água. Criadouro de mosca são águas paradas, sem peixes.

4.2 - Baratas - Eis um excelente baraticida: Misturar bem os seguintes componentes: 100 g de gesso em pó, 50 g de bórax e 100 g de farinha de trigo. Colocar em caixas de fósforos (abertas!) ou em tampinhas de refrigerante, bem ao nível do solo. Colocar um pouco de água nas imediações, pois depois de comer a mistura, elas sentem sede e procuram a água e ai já viu... o intestino vira pedra.
As baratas também adoram cerveja. Coloque um pouco de ácido bórico numa garrafa com um pouco de cerveja, deite a garrafa, faça uma espécie de ponte entre o solo e a boca da garrafa (palito de picolé, por ex.) e veja que resultado!
Outra formula: 10 g de acido bórico (a venda em farmácias) e 80 g de açúcar bem fino.
Mais uma fórmula: cebola ralada + ácido bórico + queijo ralado. Misturar tudo e colocar em pratinhos embaixo de moveis, geladeiras, etc. Se nenhum destes métodos funcionar: chinelo nelas.

4.3 - Ratos - Nunca mate um rato macho! Explico: Os ratos são polígamos, isto é, vários machos cruzam com a mesma fêmea. Se houver muitos machos para poucas fêmeas eles, os machos, perseguirão as fêmeas, aumentando a disputa, e nessa guerra os machos matarão uns aos outros, inclusive filhotes. Os métodos convencionais geralmente eliminam os ratos machos, pelo fatos destes não terem que cuidar dos filhotes e vagarem mais que as fêmeas. Ratoeiras e gaiolas são métodos bem eficientes, mas requerem paciência.
Veja esta fórmula facílima: 1 parte de gesso em pó e 3 partes de farinha de trigo. Para tornar a mistura mais atraente (para o rato, é claro!) adicione raspa de queijo, farinha de peixe, etc.
Ao ingerir o gesso (sulfato cálcico) o rato sente muita sede, procura água e bum... o intestino vira uma “pedra” e ele morre. Fácil.
Por isso, colocar água nas imediações da mistura.
Outra boa: 25 g de carbonato de bário, 30 g de farinha de trigo ou milho, e água suficiente para fazer a massa. Faça pequenos bolinhos e coloque nos caminhos por onde passam.
Farinha de trigo com cal virgem também é uma maravilha. Ao comer a mistura, sente sede, bebe água e o gás formado no intestino mata-os. Outra: banana amassada recheada com cimento.
Dizem que é uma delicia e funciona.

4.4 - Traças - naftalina funciona muito bem. Outras formas de combater: ramo de louro (a planta) é ótimo, e não deixa cheiro. Feixes de salsa, tomilho, hortelã e alfazema também afugentam esses animais.
Goma de polvilho com ácido bórico também é ótimo.

4.5 - Formiguinhas doceiras - 10 g de tartaro emético (?) e 80 g de açúcar bem fino.

 

Volta à página inicial